As 3 Faces do Lucro

By on 31 de outubro de 2016
as-3-faces-do-lucro

Do Escritório de Gustavo Ferreira
Segunda-Feira, 31/10/2016 (escrito um dia antes, as 22:16)

Caro Amigo,

Hoje estou feliz porque amanhã vou viajar 🙂

Vou passar uns dias em um local paradisíaco…
(também vou trabalhar bastante de lá, não dá para fugir, mas pelo menos estarei na praia 🙂

Nos últimos dias falamos sobre as 7 emoções chave…

Sobre a fórmula 2PEL

E hoje eu falaria do “E” da fórmula…

Mas estou com vontade de falar do “L”. Lucro.

É mais divertido, concorda? 🙂
(a Experiência é fundamental, mas hoje estou afim de grana 🙂

Vamos do começo…

O “lucro” de uma operação é o “valor da venda” menos o “custo”.

Se você vende um produto por R$ 50, e ele custa R$ 20, você tem uma margem bruta de R$ 30.

Se você faz um serviço que cobra R$ 100 a hora… A cada hora de trabalho você “ganha” R$ 100… e desconta custos que você possa ter.

O problema desse segundo modelo, é que se você fica doente e não trabalha, não tem renda.

Agora…

A grande pergunta é…

Nesses dois cenários…

Como você aumenta o seu lucro… e não empata o seu tempo?

Por exemplo, eu não dou mais 1 hora de consultoria porque empata meu tempo…

Evito pegar muitos clientes porque empata meu tempo (apesar de lucrativo)…

Se você tem uma operação física (e também funciona para serviços), você pode, por exemplo…

… comprar em volume e reduzir o custo de produção …

… colocar uma embalagem mais bonita (sério, isso funciona) e vender mais caro ….

… criar uma Experiência (aquela parte da fórmula que pulei) e justificar ser um produto mais caro dentro de um Contexto maior …

Se você presta serviços, você pode…

… definir e desenhar o seu processo …

… preparar alguém para seguir o processo …

… aumentar sua escala com mais clientes, com pessoas aplicando o processo …

“Ah, mas meu lucro vai cair”

Sim, gafanhoto 🙂

Mas aqui entra a grande ciência sagrada…

Matemática.

Se você leva 10 horas para fazer um serviço, e cobra R$ 100 a hora, você fatura R$ 1.000.

Você pode pagar R$ 400 para alguém seguir o processo (quando você segue um processo, a chance de erro é menor – o que também permite uma remuneração mais em conta para você).

E você, ao invés de investir 10 horas, investe 2 horas suas para monitorar o que seu contratado está fazendo.

Então você pode ter 5 pessoas fazendo seu trabalho… você trabalha as mesmas 10 horas… e “sobra” para você R$ 3.000.

“Ah, mas vou perder qualidade”

Sim, você vai.
(achou que eu ia dizer outra coisa? 😉

Mas quando você define muito bem o seu processo, tem um bom processo seletivo e um processo de preparo forte…

Você tende a ter 90% da qualidade que você mesmo fazia.

Por exemplo…

Hoje estou com dois copywriters trabalhando comigo…

Como estou sempre revisando e apontando ajustes, orientando e os dois passaram pelo meu treinamento… às vezes até tenho a impressão que fui eu que escrevi os textos.

Claro, como tenho meu estilo maroto e megalomaníaco próprio (e sou viciado em copy), é impossível escrever um texto igual.

Mas eles estão na faixa de 80%-90% da qualidade que preciso.

Com as revisões que eu faço antes da entrega, chega no 95%…

E todos ficam felizes.

Aos poucos estou “me abrindo” para trabalhar com afiliados…

E o mesmo princípio se aplica.

Se eu monto um processo que sei que funciona… e dou o “passo a passo”, ou o máximo de orientações possíveis para eles…

Diminuo minha margem (porque dou comissão)…

Mas economizo em tráfego (que é um valor alto todos os meses).

Ganho na escala.

Então vamos recapitular…

A primeira face do lucro é com seu próprio produto ou serviço, otimizar os seus custos e colocar uma nova “embalagem”…

A segunda face do lucro é você definir um método, um processo… e escalar.

Agora, a terceira face do lucro…

É criar um serviço de alto valor (de preferência acima de mil reais)… que seu cliente pague todos os meses.

Se você não projeta essa terceira face, fica difícil para você alcançar sua liberdade financeira de fato.

O que seria um serviço como esse?

Pode ser uma consultoria mensal (onde você entrega valor real, que o cliente vê e sente no bolso)…

Ao invés de “ensinar” ou “consultar”, você pode “fazer” para ele (e você usa a estratégia da segunda face para escalar)…

O que funciona muito bem nesses casos são serviços de coaching. Você vira o coach do seu cliente, e o puxa mês a mês até o próximo nível.

Isso é algo que penso em fazer um dia… o único problema é que os poucos que tentei fazer isso, não sobreviveram 🙂

Mas isso também é algo que pode ser escalável.

Às vezes até me sinto um pouco mal de ter essa visão de terceirização e escala do serviço…

Mas o que é melhor…

Você impactar sozinho 10 mil pessoas ao longo de toda sua vida…

Ou você formar 100 pessoas que, cada uma, impactará 10 mil pessoas com o seu método?

São visões completamente diferentes… caminhos diferentes…

No Brasil as pessoas tem muita dificuldade de pensar grande.

Por isso vamos, por muito tempo, continuar sendo o “país do futuro”.

Pense grande, faça acontecer.

Exercício de hoje: Com as 3 faces do lucro que você acabou de ver… qual você vai criar para seu produto ou serviço?

À Sua Riqueza e Felicidade!

Gustavo Ferreira

About Gustavo Ferreira - Copywriter Profissional

Empresário, copywriter profissional e consultor estratégico de negócios.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *